Reposição de testosterona: quando fazer?

No corpo humano, estão presentes diversos hormônios, cada um com a sua função. Alguns desses hormônios, com o passar do tempo, têm seu nível diminuído no organismo, um deles é a testosterona. A boa notícia é que existem algumas maneiras de realizar uma reposição de testosterona. A má notícia é que esse é um dos mais polêmicos assuntos, pois foi adquirida uma verdadeira “adoração” por ele, atribuindo-o a fins controversos, seja para o homem, seja para a mulher, inclusive, com uso abusivo, podendo trazer consequências irreversíveis. Saiba mais neste artigo!
É natural que, no decorrer da vida, nosso corpo comece a diminuir algumas funções, como a produção de certos hormônios. Um dos principais hormônios masculinos que sofrem com essa queda na concentração, principalmente quando o indivíduo já possui idade mais avançada, é a testosterona.
04 / 09 / 2019 | Por: Dr Álvaro Afonso

O que é a testosterona?

Chamamos de testosterona o hormônio responsável pelas funções sexuais dos homens. Esse hormônio é produzido nos testículos e também se responsabiliza pela produção de massa muscular, pelo surgimento de pelos no corpo, pela distribuição de gordura no corpo, pelo aumento de força, pelo engrossamento da voz, dentre outras características. A testosterona também está presente no organismo feminino, mas em quantidades muito menores. Além disso, o hormônio pode ser usado como anabolizante por pessoas que praticam esportes que demandam uma maior força física.

Quando ocorre a deficiência de testosterona?

Como falamos anteriormente, é natural do ser humano que as funções corporais diminuam com o passar dos anos. Quanto mais avançada for a idade, mais lento será o metabolismo e menos quantidades de hormônios serão produzidas, com isso, ocorre o que chamamos de deficiência androgênica relacionada ao envelhecimento, que é justamente a queda no nível de testosterona no corpo. A baixa de testosterona também pode acontecer por conta do hipogonadismo, doença que acomete os testículos e ovários, fazendo com que os hormônios sexuais não sejam produzidos em quantidade suficiente.

É importante que observemos nosso corpo, para que possamos identificar possíveis sintomas da baixa produção de testosterona e buscar alternativas para a sua reposição. Alguns dos sintomas mais comuns nos homens são: diminuição do apetite sexual, baixa produção de esperma, depressão, falta de energia e dificuldade de ereção.

Terapia de reposição de testosterona

Para tratar a baixa hormonal, tanto decorrente do envelhecimento quanto de doenças como o hipogonadismo, os profissionais da saúde têm recomendado frequentemente a terapia de reposição de testosterona quando há a comprovação, por meio de exames laboratoriais, da queda do hormônio em questão. A reposição de testosterona tem como benefícios principais a diminuição dos sintomas físicos e psicológicos e a melhora na função sexual, já que essa baixa hormonal influencia diretamente na libido. A perda de gordura e ganho de massa muscular também é um dos objetivos da terapia de reposição de testosterona.

Esse tratamento só pode ser realizado por médicos especializados, com a devida indicação clínica e com os cuidados necessários. O procedimento é feito geralmente com a administração de gel transdérmico, por via injetável intramuscular ou por medicamentos orais, somente o profissional saberá indicar qual o melhor tratamento e a dosagem.

Então, se notarmos algum sintoma de baixa produção de testosterona, é interessante que busquemos ajuda médica, pois, quanto antes o problema for identificado, melhores serão os resultados da terapia de reposição. Procure seu endocrinologista para realizar uma avaliação! Somente um médico poderá fazer esse diagnóstico e tratamento.